cheesecake de morango

cheesecake morango

Essa receita do NYT me atraiu por algumas razões—o vinho, os morangos e o queijo de cabra. Também gostei do fato dela fazer uma massa que simula aquela feita com bolacha. Se não fosse por esses detalhes eu talvez tivesse passado batido, porque não sou a maior fanzoca de cheesecake do planeta. Mas esse fica muito interessante, nós gostamos muito. Como não tinha certeza que iria ficar bom, decidi fazer somente meia receita, por isso saiu uma tortinha pequena. Mas vou publicar a receita inteira. Também errei deixando a massa muito alta pra forma pequena, então não deu o efeito intencionado de ficar uma parte do recheio aparecendo. Mas nós não nos importamos com esse detalhe e comemos o cheesecake inteiro, não sobrou migalha.

para a massa:
115 gramas de manteiga sem sal em temperatura ambiente
2 colheres de sopa de açúcar mascavo escuro
2 colheres de sopa de mel
1 xícara de farinha de trigo
1/4 xícara de farinha de trigo integral
1 colher de sopa cacau em pó sem açúcar
3/4 colher de chá de sal kosher
1/4 colher de chá de canela em pó

para o recheio:
1/2 xícara de vinho tinto seco
1 envelope de 7 gramas [2 e 1/4 colheres de chá] de gelatina em pó sem sabor
455 gramas de cream cheese em temperature ambient
2/3 xícara de açúcar
225 gramas de queijo de cabra fresco em temperatura ambiente
455 gramas de morangos frescos picados grosseiramente

Prepare a massa: Na batedeira ou no processador de alimentos, bata a manteiga e o açúcar mascavo juntos até ficar um creme homogêneo, cerca de 1 minuto. Acrescente o mel. Em uma tigela misture com um batedor de arame as farinhas, o cacau, o sal e a canela. Com a batedeira em velocidade baixa ou usando o botão de pulso no processador de alimentos, adicione os ingredientes secos à mistura de manteiga em dois lotes. Despeje a massa sobre uma folha de plástico. Achate em um disco e leve à geladeira por pelo menos 2 horas ou durante a noite.

Coloque a massa entre duas folhas de papel vegetal ou manteiga. Trabalhando rapidamente abra a massa bem fina. Se a massa ficar muito mole, recoloque na geladeira até ficar firme outra vez. Transfira a massa para uma forma de fundo removível de 22 cm. Pressione a massa no fundo da forma e até dois terços da altura nos lados. Fure o fundo da massa com um garfo. Leve à geladeira 20 minutos.

Aqueça o forno a 325ºF/ 162ºC. Coloque a forma sobre uma assadeira e leve ao forno. Asse até que a massa fique levemente dourada e seca ao toque, por cerca de 25 minutos. Deixe esfriar completamente sobre uma grade.

Enquanto isso, prepare o recheio: Coloque o vinho tinto em uma panela pequena e polvilhe a gelatina por cima. Deixe descansar por 5 minutos, até que ela seja absorvida pelo liquido. Coloque panela em fogo baixo e mexa até dissolver a gelatina. Não deixe ferver, pois isso afeta o seu poder de gelificação. Deixe esfriar.

Em um processador de alimentos ou batedeira, misture o cream cheese, o açúcar e o queijo de cabra; bata bem até ficar homogêneo. Pare de uma ou duas vezes para raspar as laterais da tigela com uma espátula e misture novamente. Adicione os morangos picados e a mistura de gelatina e bata até incorporar. Coloque a mistura na massa; cubra frouxamente com filme plástico e leve à geladeira por pelo menos 6 horas ou durante a noite. Decore com morangos cortados em pedaços ou inteiros antes de servir.

»»» a receita com vídeo.

cheesecake morango

mousse de chocolate
[feito com abacate]

mousse de chocolate

Esse mousse não é novidade, nem invenção minha, mas virava e mexia eu dava de cara com a ideia. Outro dia meu amigo contou que tinha comido um mousse de chocolate maravilhoso num restaurante em Sacramento e que tinha lembrado de mim porque a sobremesa era feita com abacate. Como todo americano, ele ficou surpreso quando descobriu que no Brasil crescemos comendo abacate como sobremesa, batido com leite ou limão. Pois esse mousse é a mesma coisa, só que acrescenta cacau em pó. Eu fiz no processador de alimentos porque meu liquidificador está quebrado. O segredo é bater bastante, parando a máquina vez ou outra pra limpar as bordas com uma espátula. Já fiz várias vezes, todas ficaram ótimas. Pode acrescentar um pouco de liquido se o abacate for daqueles de polpa mais firme. Eu usei um dedinho de leite de amêndoa. Mas se o abacate for bem molinho e maduro, nem precisa. Como eu DETESTO aqueles mousses feitos com não-sei-quantos mil ovos, essa receita foi simplesmente um oásis de deliciosidade. Se você nunca fez, faça e depois me diga se não é o Fino da Bossa!

Polpa de 1 e 1/2 avocados
2 colheres de sopa de cacau em pó [usei o Valrhona]
Mel a gosto ou outro adoçante da sua preferência
Um pouquinho de leite de amêndoa, se achar que precisa
Coloque tudo no copo do liquidificador ou processador e bata bem até obter um creme bem espesso. Coloque em taças e leve pra gelar. Eu salpiquei com sal Maldon na hora de servir, mas não precisa.

torta de iogurte [& ruibarbo]

torta de ruibarbo

Para o almoço do feriado de Memorial Day eu encasquetei de fazer uma receita leve, fresca, sem precisar usar o forno e onde eu pudesse usar alguns talos de ruibarbo. Achei essa aqui deveras interessante e adaptei, troquei os morangos frescos pelo ruibarbo cozido levemente numa calda de mel. Olha, talvez eu deva refazer usando os morangos. Eu gostei do resultado, mas nem todo mundo dividiu o meu entusiasmo. O crítico foi um deles, que experimentou só uma lasquinha e deu o veredito—não gostei! E não comeu mais. Não estou aqui para desanimar ninguém, mas talvez essa torta não seja mesmo pro gosto de todo mundo, ou seria melhor fazer mesmo com os morangos.

para a crosta:
2 xícaras de nozes tostadas
1 e 1/2 xícaras de tâmaras sem o caroço
1/4 colher de chá de sal marinho
1/2 colher de chá de canela em pó

para o recheio:
2 colheres de chá de gelatina em pó [1 envelope]
1/2 xícara mais 2 colheres de sopa de leite integral
1 e 1/2 xícaras de iogurte grego integral
1/4 xícara de açúcar mascavo [*usei o meu açúcar de limão]
1/4 colher de chá de extrato de baunilha
1 pitada de sal marinho

No processador de alimentos coloque todos os ingredientes da crosta e pulse até obter uma massa grossa e com aderência e que possa ser moldada na forma. Pressione a mistura em uma camada uniforme no fundo e nos lados de uma forma de 22 cm com fundo removível. Reserve.

Nma tigela pequena polvilhe a gelatina sobre 2 colheres de sopa de leite frio e deixe repousar por 5 minutos. Em uma panela pequena em fogo médio esquente o leite. Quando começar a formar pequenas bolhas nas bordas, retire do fogo e adicione à mistura de gelatina. Mexa bem até dissolver completamente. Em uma tigela média, misture o iogurte, o açúcar mascavo, a baunilha e uma pitada de sal. Misture com o iogurte com agelatina dissolvida. Despeje essa mistura sobre a massa da torta. Leve à geladeira até endurecer, por mais ou menos 2 horas. Remover a torta da forma e servir com o ruibabo que foi cozido numa calda de mel e limão.

A calda de mel eu fiz à olho: meia xícara de mel, uma colher de sopa de água e uma colher de sopa de suco de limão. Cozinha em fogo baixo até engrossar e joga os ruibarbos cortados em palitos. Cozinha só por um minutinho e desliga o fogo. Não deixe o ruibarbo desmanchar. Se decidir usar morangos, apenas decore os fatias da fruta fresca.

torta de ruibarbo

flummeries

flummery.jpg

Não sei como eu encontrei essa receita, mas assim que vi esses pudinzinhos decidi que eles seriam a sobremesa que eu iria fazer para o nosso almoço de Páscoa. Fui pesquisar o que eram os flummeries e só posso dizer que eles são uma sobremesa de gelatina bem antiga e que podiam ser complicadas e com um visual bem rebuscado. Felizmente esta versão é bem simples de fazer, mas o resultado não deixa de ser excelente. Os flummeries ficam bem cremosos e combinam muito bem com frutas frescas. Escolhi os morangos que acabaram de chegar por aqui.

1 envelope de gelatina sem sabor [1 colher de sopa]
1/2 xícara de Sherry doce [ou conhaque]
2 xícaras mais 2 colheres de sopa de creme de leite fresco
1/3 xícara de açúcar
1 colher de chá de raspas da casca de um limão fresco

Numa tigela pequena polvilhe a gelatina sobre o Sherry. Enquanto isso aqueça o creme de leite, o açúcar e as raspas de limão, mexendo com um batedor de arame até que o açúcar fique totalmente dissolvido. Retire do fogo e adicione à mistura de gelatina, misturando bem. Despeje tudo por uma peneira fina em uma jarra medidora de vidro grande e despeje em forminhas ou moldes. Leve à geladeira até firmar completamente, por pelo menos 6 horas. Para desenformar as flummeries mergulhe as forminhas uma de cada vez, em uma vasilha com água quente por 2 segundos, puxe as bordas delicadamente com os dedos ou com a borda de uma faca e inverta sobre os pratos.

panna cotta de louro
[com redução de balsâmico]

panna cotta de louro

As melhores receitas para mim são as que me oferecem uma aventura, algo inusitado, uma mistura de ingredientes jamais pensados, um item diferente, uma novidade. Nem vou mentir que sou bem chata para comer e naõ me venham com ovas de peixe, carne ou ovos crus, fígado de animais, bichos com tentáculos ou lesmas. Mas em se tratando de uma sobremesa usando ingredientes de pratos quentes ou saladas, sou absolutamente cabeça aberta. Essa receita de panna cotta aromatizada com folhas de louro fez totalmente a nossa cabeça. Adoramos!

1 xícara de leite integral
3 folhas de louro frescas
2 xícaras de creme de leite
3/4 de colher de sopa [ ou1 envelope] de gelatina sem sabor
1/2 xícara de açúcar
1 pitada de sal

Para a redução de balsâmico, coloque uma quantidade de vinagre numa panela e leve ao fogo médio-baixo até engrossar. Cuidado para não passar do ponto e queimar!

Numa panela aqueça o leite com folhas de louro até quase ferver. Cubra e retire do fogo, deixe descansar por 30 minutos, depois coe e descarte as folhas. Unte 6 forminhas com óleo vegetal. Despeje 1 xícara de creme de leite em uma tigela e polvilhe a gelatina por cima. Mexa com um garfo e deixe de molho 5 minutos.

Misture o leite aromatizado com o louro, o açúcar e sal em uma panela. Mexa em fogo médio- alto até que o açúcar se dissolva, deixe a mistura ferver. Desligue o fogo e retire ia panela mediatamente. Adicione a mistura de gelatina e creme à de leite e mexa bem. Adicione a 1 xícara extra de creme de leite.

Divida a mistura entre as 6 forminhas. Leve à geladeira até ficar firme, cerca de 6 horas. Um pouco antes de servir mergulhar as forminhas rapidamente em água quente. Inverter em pratos e regar com a redução de vinagre balsâmico.

torta de iogurte grego
[com molho de uva & pimenta]

torta de iogurte

Essa foi a sobremesa que mais gostei do menu do Thanksgiving. Quando vi a receita na revista Bon Appétit, achei a compota de uvas negras com pimenta do reino simplesmente o fino da inovação. Eu tinha que tentar fazer. E também porque adoro sobremesas com iogurte, com frutas frescas, fáceis de fazer, eteceterá. A pimenta do reino não deixa o molho exageradamente apimentado, como eu achei que iria. Mas acrescenta um toque picante e deixa o molho de uvas com um sabor mais concentrado.

para a massa de bolacha:
300 gr [10 oz] de biscoitos gingersnaps [ou outro tipo maria, maizena]
2 colheres de sopa de farinha de trigo
2 colheres de sopa de açúcar mascavo
1/2 colher de chá de sal kosher
6 colheres sopa de manteiga sem sal derretida e ligeiramente resfriado

para o recheio e molho:
2 colheres de chá [1 envelope] de gelatina sem sabor em pó
1/2 xícara, mais 2 colheres de sopa de leite integral
2 e 3/4 xícaras de iogurte grego
1/2 xícara de açúcar mascavo claro
1 colher de chá de raspas da casca de limão [*usei o tahiti]
3 xícaras de uvas pretas sem sementes
1/3 xícara de açúcar comum
1/4 xícara de suco de limão fresco [*usei o tahiti]
2 colheres de chá de pimenta do reino moída na hora
[*usei pimenta do reino defumada]
Uma pitada de sal kosher

faça a massa:
Coloque a grade no centro do forno e pré-aqueça a 325°F/ 162ºC. Coloque as bolachas num processador de alimentos e pulse até formar uma farofa. Adicione a farinha, o açúcar e o sal e pulse para combinar. Adicione a manteiga e pulse novamente até que a mistura fique com a consistência de areia molhada.

Transfira para uma forma de torta de 22cm e usando um copo de medida pressione com firmeza para baixo e nos lados da forma. Coloque a forma de torta sobre uma assadeira e asse por 20-25 minutos. Remova do forno e deixe esfriar. Nota: cuidado para não deixar a massa assar muito, pois ela fica muito dura pra cortar. a minha ficou um pouco dificil de cortar no dia, melhorou no dia seguinte.

faça o recheio e molho:
Numa tigela pequena coloque 2 colheres de sopa de leite e salpique a gelatina por cima. Deixe descansar por 5-10 minutos. Coloque a 1/2 xícara restante de leite em uma panela pequena em fogo médio até borbulhar levemente, cerca de 3 minutos. Retire a panela do fogo, adicione a mistura de gelatina e bata até ficar homogêneo. Misture bem o iogurte, o açúcar mascavo e as raspas de limão e despeje na massa de torta, alisando bem por cima com uma espátula. Leve à geladeira por pelo menos 2 horas .

Enquanto isso numa panela média colocar as uvas, o açúcar, o suco de limão, o sal e a pimenta do reino moída na hora e deixar ferver, mexendo para dissolver o açúcar . Reduza o fogo e cozinhe, mexendo ocasionalmente, até as uvas ficarem macias e a calda engrossar, por uns 10 minutos. Remova a panela do fogo e deixe esfriar. Pode guardar o molho na geladeira num recipiente coberto até a hora de servir. Cortar as fatias e servir com o molho de uvas por cima.

panna cotta de chocolate branco
[com pickles de nectarina]

pannacotta-chocbr.jpg

Dei apenas uma bocadinha na sobremesa que o Uriel pediu no restaurante Lincoln em Portland e fiquei obstinada em tentar fazer a receita em casa. Assim que cheguei de viagem fui pra cozinha e fiz. Para a panna cotta eu apenas preparei uma receita básica e acrescentei o chocolate branco. Para o pickles de nectarina achei uma receita bem fácil na web e mandei bala. Só omiti a saba porque não deu tempo de correr atrás. Apesar disso a minha sobremesa-cópia ficou idêntica à original. Absolutamente deliciosa!

para a panna cotta:
1 xícara de creme de leite fresco
1 xícara de leite integral
1 fava de baunilha
1 envelope [7g] de gelatina em pó sem sabor
1 barra de 120 gr de chocolate branco
1 colher de sopa de açúcar

Numa panelinha coloque o creme de leite, a fava de baunilha e as sementes [corte a fava ao meio, raspe as sementes com uma faca], 1 colher de sopa de açúcar e o chocolate branco picado. Leve ao fogo médio e mexa até o chocolate derreter completamente. Enquanto isso coloque o leite numa outra vasilha e salpique a gelatina por cima. Despeje o creme de leite quente por cma do leite com a gelatina. Bata com um batedor de arame até a gelatina dissolver completamente. Coloque numa forma molhada ou em ramequins e leve à geladeira até firmar.

pickles-nectarine.jpg

para o pickles:
1/2 xícara de vinagre de vinho branco
3/4 xícara de açúcar
1 pau de canela
1/4 colher de chá de sementes de cominho
1/4 colher de chá de sal
4 nectarinas cortadas em fatias

Coloque todos os ingredientes, exceto as nectarinas, para ferver em uma panela média. Coloque as nectarinas num recipiente resistente ao calor e despeje sobre elas a mistura quente de vinagre. Deixe esfriar, cubra e leve à geladeira até a hora de servir.

eton mess

etonmess.jpg

No almoço de despedida para meu filho e a namorada, que seguiram em viagem longa para o Brasil, fiz essa sobremesa tradicional britanica para agradar a minha norinha ultra-fofa que é neta de ingleses. Não é exatamente uma receita, porque eu fiz tudo de olhomêtro. Comprei os morangos mais maduros e doces, uns suspiros prontos de baunilha e um vidro do melhor creme de leite fresco que encontro por aqui. Bati o creme de leite em picos firmes e adicionei um pouquinho de açúcar de confeiteiro e um splash de essência de baunilha. Lavei e cortei os morangos ao meio, quebrei os suspiros com as mãos e misturei tudo com o creme baitido. Daí é só colocar porções em tacinhas e servir.

mousse de queijo cremoso
com frutas silvestres

mousse-queijo.jpg

Tirei da estante o volume Seasonal Fruit Desserts da Deborah Madison para procurar uma ideia de soibremesa para fazer no almoço de Memorial Day. Esse livro tem receitas super diferentes e criativas usando frutas da estação. E agora é a hora dos damascos, cerejas e berries em geral. Achei várias ideias e coloquei essa em pratica. Um mousse com apenas alguns ingredientes da melhor qualidade e tchan dan—a cara do meu filho devorando a porção dele e fazendo comentários elogiosos sumariza tudo. Simplicidade, elegância e deliciosidade, exatamente como eu gosto.

1 pacote de 225 gr [8 ounces] de cream cheese
1 xícara de iogurte natural
3 colheres de sopa de açúcar demerara
1 fava de baunilha [ou 1 colher chá de extrato]
1/2 xícara de creme de leite fresco

Coloque o cream cheese e o iogurte no processador, adicione o açúcar e pulse bem até ficar um creme. Corte a fava de baunilha ao meio e raspe as sementes. Coloque as sementes na mistura de queijo [e guarde a fava na lata de açúcar] Processe mais um pouco e adicione o creme de leite. Teste se o açúcar está a seu gosto. Coloque a mistura numa peneira forrada com um paninho [pode ser o de fazer queijo], coloque a peneira sobre uma vasilha grande, cubra a mistura com as bordas do pano e leve à geladeira por algumas horas ou de um dia para o outro. Antes de servir remova o creme da peneira e coloque em taças ou numa vasilha grande, como quiser. Sirva com frutas frescas. Eu escolhi servir com as blackberries.

torta de cerejas frescas

torta-cereja.jpg

Nem sei como cheguei nesta receita no website da Martha Helena. Mas cheguei e parei. Porque adoro tortas de frutas frescas neste estilo e porque as cerejas locais já chegaram e estão abundantes. Eu como cerejas só nesta época do ano, por isso não deixo escapar nenhuma oportunidade de comprar todas as variedades disponíveis dessa frutinha. Para fazer a torta usei umas cerejas escuras que estavam bem doces com um toque ácido—simplesmente perfeitas. Troquei o açúcar do creme por mel de lavanda e acho que tomei a decisão certa. Essa torta ficou "o fino da bossa'.

para a massa:
9 biscoitos doces [tipo graham crackers ou maizena]
2 colheres de sopa de açúcar [*omiti]
6 colheres de sopa de manteiga sem sal e derretida

para o creme:
170 gr de cream cheese em temperatura ambiente
1/2 colher de chá de extrato de baunilha
3/4 xícara de creme de leite
1/4 de xícara de açúcar [*troquei por mel de lavanda]

450gr de cerejas frescas sem caroço e cortadas ao meio

Pré-aqueça o forno a 350º/ 176ºC. Em um processador de alimentos pulse os biscoitos e 2 colheres de açúcar até ficar moído bem fino [*eu omiti o açúcar]. Adicione a manteiga e processe outra vez. Transfira a mistura para uma forma sw torta de 22cm com fundo removível. Utilizando a base de um copo de medida, pressione com firmeza a mistura no fundo e nos lados da forma. Asse até dourar por 10 a 12 minutos. Retire do forno e deixe esfriar completamente sobre uma grade.

Na batedeira em velocidade média, bata o cream cheese, a baunilha e 1/4 de xícara de açúcar [*usei mel de lavanda] até formar um creme. Aos poucos, adicione o creme de leite e bata até formar picos moles. Despeje esse creme sobre a massa já totalmente fria. Espalhe as metades das cerejas sobre o creme. Leve à geladeira para gelar por pelo menos 30 minutos antes de servir.

panna cotta de iogurte & mel

pannacotta-mel.jpg

Fui à um restaurante em Woodland jantar com uma amiga numa noite de semana quando o local ofereceu um menu de três pratos com preço fixo. Estava tudo super gostoso, mas nos encantamos com a sobremesa—uma panna cotta feita com mel local. Woodland produz muito mel, como resultado das milhares de caixas de abelhas usadas para fazer a polinização das plantas, principalmente da cultura das amêndoas. Desde que me mudei pra essa cidade nunca mais comprei outro mel, além desses locais. E para fazer essa panna cotta usei um mel de lavanda com um sabor ultra-delicado. A que comi no restaurante era feita somente com creme de leite. Mas decidi usar essa receita com iogurte grego, que também fica muito boa. O iogurte adiciona um toque pungente ao creme, que eu gosto muito.

1 e 1/2 xícaras de iogurte grego
1/2 xícara de creme de leite fresco
1 e 1/4 colheres de chá de gelatina em pó sem sabor
2 colheres de sopa de água
3 colheres de sopa de mel [*use mais se quiser mais doce]
1/2 colher de chá de extrato puro de baunilha

Numa vasilha misture bem o iogurte, o creme de leite, o mel e a baunilha. Numa outra vasilha misture a água e a gelatina e ponha no microondas por uns 30 segundos. Ponha essa mistura de gelatina no creme de iogurte. Misture bem com o batedor de arame e despeje nos potinhos. Ponha na geladeira até ficar firme. Sirva com morangos frescos ou outra fruta da época.

posset de limão [meyer]

lemon-posset.jpg

Procurei muito por uma receita com limão que fosse apenas um creminho e que não levasse 76568 ovos. Há uma relação um pouco disfuncional entre limões e gemas nas receitas que circulam por aí. Sinceramente, vamos dar um tempo nisso? No final achei muitas receitas similares desse creminho simples, que pode ser feito com qualquer cítrico. O importante é o creme de leite ser bem fresco e bem pesado. E deixar esfriar bem antes de colocar o suco do limão, pois o momento é tenso—dá um pequeno pânico, pois parece que o creme vai talhar. Mas ele apenas dá uma engrossadinha.

meyer lemon posset
faz duas porções

1 xícara de creme de leite fresco
1/3 xícara de açúcar [*pode por menos]
Suco e casca ralada de 1 limão meyer

Misture o creme de leite e o açúcar numa panela pequena. Leve ao fogo e deixe aferventar. Retire do fogo e deixe esfriar, mexendo ocasionalmente por cerca de 20 minutos. Junte o suco e as raspas de limão, misturando bem com um batedor de arame. Divida entre duas taças e leve à geladeira por algumas horas até ficar firme. Decore com um raminho de hortelã se quiser. Eu quis.

semifreddo de pera & framboesa

semifreddo-pera_1S.jpg

A outra sobremesa refrescante da ceia de Natal foi esse semifreddo tirado da edição de dezembro da revista Everyday Food. É ridiculamente fácil de fazer. A receita original era sabor limão e levava lemon curd, que eu não tinha, não quis comprar e nem fazer. Resolvi ser prática e substituí o lemon curd por uma geléia de pera muito especial que eu tinha na geladeira e voilá, deu certo e ficou delicioso. A geléia tinha pedacinhos de pera então o semifreddo ficou todo salpicadinho. As bolachas deveriam ter ficado numa só camada, fazendo uma linha no centro, mas eu sou a pessoa com a mão mais tenebrosa para trabalhos delicados e minhas bolachas ficaram tortas. Mas isso só afetou o visual, não modificou nem um pouco o sabor dessa sobremesa perfeita.

3/4 de xícara de framboesas descongeladas
2 colheres de açúcar
2 xícaras de creme de leite
1 xícara de geléia de pera [ou curd de limão]
10 bolachas champagne [ladyfingers]

Forre uma forma de assar pão com duas folhas de filme plástico, deixando uma parte do plástico sobrando dos lados. No liquidificador bata as framboesas e o açúcar. Passe por uma peneira e descarte as sementes.

Em uma tigela grande bata o creme de leite em ponto de formar picos moles. Com uma espátula adicione a geléia de pera [ou o curd de limão]. Coloque 2 xícaras da mistura de creme na assadeira e alise bem com a espátula. Molhe as bolachas no puré de framboesa e coloque por cima do creme na forma, ajeitando de duas em duas em fileiras paralelas. Despeje restante purê de framboesa sobre as bolachas. Cubra com o restante da mistura de creme e alise com a espátula.

Cubra a forma com o plástico que ficou sobrando nas bordas e leve ao congelador por no mínimo 8 horas. Na hora de servir, abra o plástico de cima, e remova da forma invertendo num prato. Corte fatias com uma faca molhada e sirva.

semifreddo-pera_2S.jpg

gelatina festiva de romã

gelatina-roma_1S.jpg

Neste Natal, apesar da chuva e do frio, eu quis fazer sobremesas refrescantes para dar um final leve à uma refeição mais pesada, com carne de porco. Uma das receitas que escolhi foi essa da Deborah Madison publicada na coluna dela do Culinate. Adorei absolutamente tudo nessa gelatina festiva e posso garantir, pela velocidade com que o meu filho devorou a porção dele, que fica realmente excepcional.

para a gelatina:
2 xícaras de suco de romã puro [*usei o da POM]
1 pacote de gelatina em pó sem sabor [1 colher de sopa]
1 colher de sopa de açúcar
2 colheres de chá de água de flor de laranjeira

para o creme de iogurte:
2 colheres de sopa de leite integral
1 pitada de açafrão
1/2 xícara de iogurte grego
1 colher de sopa de mel
2 colheres de sopa de pistachios
Sementes de romã

Despeje 1/2 xícara de suco de romã em uma tigela, polvilhe a gelatina por cima e deixe descansar por 5 minutos. Enquanto isso, aqueça metade do suco restante (3/4 xícara) apenas até o ponto de ebulição. Misturar na gelatina, adicionar o açúcar e bater bem com um batedor de arame até que a gelatina esteja completamente dissolvida. Aos poucos, misture o restante do suco, em seguida, adicione a água de flor de laranjeira. Divida o liquido entre 4 taças e leve à geladeira até firmar, por pelo menos 6 horas ou durante a noite.

Aqueça levemente o leite com os fios de açafrão e deixe esfriar. Misture bem o iogurte com o mel. Junte a mistura de leite com a de iogurte com o açafrão. Leve à geladeira até a hora de servir.

Para servir, coloque uma colher do creme de iogurte sobre cada taça de gelatina de romã. Decore com os pistaches e sementes de romã.

gelatina-roma_2S.jpg

float de gengibre

Vi essa ideia numa revista só não me lembro em qual. Prestei atenção justamente porque ainda tinha aquele xarope de gengibre que fiz para o ginger ale. Prestei ginger-float_1S.jpgatenção também porque esses floats—que na minha infância a gente chamava de vaca preta, vaca branca, vaca laranja, dependendo do sabor do refrigerante usado, sempre foram pra mim a epítome da delicia refrescante. Essas vacas foram protagonistas em muitas aventuras de verão que passei com meus irmãos e meus primos. E essa de gengibre fica absolutamente o fino da bossa. Use o xarope de gengibre, que será colocado no fundo de um copo alto. Por cima coloque uma ou duas bolas do melhor sorvete de baunilha que você puder comprar. Eu usei o da Straus Creamery. Depois é só colocar água com gás a vontade por cima, misturar com uma colher e aproveitar.

sherbet de cereja

sherbet-cereja_1S.jpg

Pra mim é sempre uma tristeza quando sou avisada que aquelas frutas são as últimas da temporada. Compro um montão e procuro algo bem legal pra fazer com elas. No caso das cerejas, este ano não tive nenhuma receita brilhante como a do ano passado para colocar em prática. Fiz apenas um sherbet, nada extremamente sofisticado, mas o resultado me deixou bem satisfeita.

3 xicaras de cerejas frescas descaroçadas
1/2 xícara de sour cream
Suco de um limão
Açúcar de maple ou outro adoçante da sua preferência a gosto

Bater tudo no liquidificador e colocar na sorveteira. Deixar rodar até formar um creme firme [uns 20/30 min]. Colocar num recipiente de vidro com tampa e levar ao congelador até a hora de servir. Por ser um sherbet com mais fruta do que leite [sour cream], esse gelado ficou bem fofo e aerado.

sherbet-cereja_2S.jpg

gelado de figo & balsâmico

geladofigobal_1S.jpg

A estação dos figos por aqui tem duas etapas—a primeira no inicio de julho e a segunda no final de agosto. Não sei por que isso acontece, mas acho que é uma coisa boa, já que podemos aproveitar essa fruta deliciosa em dose dupla. A primeira fase já se encerrou e os últimos figos que comprei estavam ultra maduros. Tive que guardá-los na geladeira e achar um uso rápido pra eles, além de comê-los puro, com queijo, com mel ou iogurte, como normalmente fazemos. Não ando muito animada com tortas e bolos, porque meu fogão a gás é super potente e nesses dias quentes não quero transformar a cozinha numa sauna. A opção escolhida neste caso foi fazer um sorvete de figos.

6 a 8 figos bem maduros
1/3 xícara de creme de leite fresco
1 splash generoso de vinagre balsâmico
[* usei esse com frutas—tangerina e figo]
Açúcar de maple a gosto [ou outro adoçante da sua preferência]

Bata tudo no liquidificador, coloque na sorveteira, rode até o creme ficar bem firme, coloque numa vasilha de vidro com tampa e guarde no congelador até a hora de servir.

geladofigobal_2S.jpg

picolé de melão
[com gengibre & limão]

picole-melao_4S.jpg

A temperatura está subindo aqui na roça e a coisa já tá fervendo lá nos tomatais, por isso acho que só vai ter receita de coisas geladas por aqui nos próximos dias. Esse picolé por exemplo ficou um troço refrescante de dar um alivio, sabe como? Aaaah. Tudo porque os melões já estão maduríssimos e dulcíssimos, simplesmente o fino da bossa. Temos comido a maioria puros, vezes e outra repingados com um pouco de suco de limão e polvilhados com lâminas tostadas de amêndoas. Tenho comprado melões de muitas variedades, todos da fazendinha orgânica de Woodland. Com um deles fiz esses picolés. Bati no liquidificador o melão pequeno descascado e sem sementes com uma colher de chá de gengibre ralado [usei o microplane pra ralar] e o suco de um limão. Coloquei um pouquinho de nectar de agave, mas nem precisava. Botei esse purê nas forminhas de picolé, levei ao congelador e no outro dia desenformei e aaahhh!

gelatina de vinho rosé

sparkling-jello.jpg

As fotos dessa sobremesa não fazem justiça a tamanha lindeza e gostosura que ela realmente é. Uma gelatina de vinho rosé borbulhante, com um toque de rosas, misturada com fruta fresca. Eu não tinha as framboesas da receita original, então fiz com as lindas cerejas Rainier que comprei no Farmers Market. Fica uma gelatina festiva e chique––vou querer refazer usando as berries.

3 xícaras de vinho rosé
2/3 xícara de açúcar
1 xícara de água
1 colher de sopa de água de rosas
1 colher de sopa de licor de framboesa opcional]
4 pacotinhos [de 7gr cada] de gelatina em pó sem sabor
350 gr de framboesas frescas [*usei cerejas]

Coloque o vinho rosé e o açúcar numa panela e leve ao fogo médio. Quando ferver abaixe o fogo e cozinhe por 5 minutos. Enquanto isso coloque a água numa vasilha e despeje a gelatina por cima. Remova o vinho do fogo e coloque a água de rosas e o licor. Junte a mistura de gelatina e misture bem com um batedor de arame. Despeje numa forma refratária, cubra com plástico filme e leve à geladeira até firmar. Na hora de servir corte a gelatina com uma faca––faça cortes em todas as direções, até ela ficar toda quebrada em micro pedacinhos. Coloque essa gelatina picada em taças ou copos em camadas intercaladas com a fruta fresca. Sirva a seguir.

sparkling-jello_1S.jpgsparkling-jello_3S.jpg

mousse de cereja

mousse-cereja_1S.jpg

Eu tinha lido em algum lugar que os produtores de cereja aqui na Califórnia tinham tido perda parcial da colheita por causa da primavera adiantada que tivemos este ano. Fiquei triste de marré, marré, marré... Mas as cerejas chegaram, marcando presença em todos os cantos que frequentamos. E como estão bonitas e faceiras, sem falar no tanto que estão deliciosas. Não tava nem tendo chance de fazer nenhuma receita com elas, porque estávamos comendo todas puras, al naturel. Daí ganhei um saco extra de cerejas orgânicas de uma amiga e decidi separá-las para fazer uma sobremesa. E escolhi fazer essa mousse super levinha, que foi a nossa sobremesa do final de semana. A receita original é feita com morangos, mas com as cerejas também fica muito bom!

2 xícaras de cerejas frescas [descaroçadas]
1/8 colher de chá de sal
1 envelope [7gr] de gelatina em pó sem sabor
1/2 xícara de suco de romã puro [ou outro de fruta vermelha]
200 gr de iogurte grego integral [2%]
1/4 xícara de açúcar

No processador de alimentos coloque as cerejas e o sal e pulse até formar um purê. Numa vasilha pequena coloque 1/4 de xícara do suco de romã e salpique a gelatina sobre o liquido. Deixe descansar por 5 minutos. Enquanto isso coloque o restante 1/4 de xícara do suco de romã numa panelinha, junte o açúcar e leve ao fogo médio até o açúcar dissolver completamente. Jogue a mistura de gelatina na panelinha e cozinhe sobre fogo baixo até que a gelatina dissolva bem, mais ou menos por 1 minuto. Adicione a mistura de gelatina ao purê de cereja e pulse no processador para misturar bem. Adicione o iogurte grego e pulse mais uma vez, rapidamente. Coloque a mistura em taças ou copos e leve à geladeira até firmar. Faz 4 porções.

mousse-cereja_ins.jpg

torta de morango & chocolate

strawberry-tart_1S.jpg

strawberry-tart_2S.jpg

strawberry-tart_3S.jpg

strawberry-tart_4S.jpg

Voltei da banquinha de frutas da road 16 carregando três caixas de morangos e desta vez quis fazer uma sobremesa com eles. Um bom lugar pra procurar receitas bacanas é o Food 52 e foi lá que encontrei essa torta de morangos com chocolate. Achei que ela fica bem parecida com as lemon bars, só que feitas de morango [claro!]. Dá pra cortar em quadradinhos e servir tanto como sobremesa quanto como lanchinho. Fica muito gostosa.

para a massa:
1 e 1/2 xícaras de bolachas doces [tipo maizena ou graham cracker]
1/3 xícara de açúcar
6 colheres de sopa de manteiga sem sal derretida
1 xícara de chocolate meio amargo derretido

para o recheio:
1 quilo de morangos
1/3 xícara de água
1/2 xícara de açúcar
3 colheres de sopa de amido de milho [maizena]
Suco de meio limão

No processador coloque as bolachas, o açúcar e a manteiga derretida e pulse bem. Pressione essa mistura na base de uma forma com fundo removível e asse em forno a 375ºF/ 200ºC por 10 minutos. Remova do forno e deixe esfriar. Derreta o chocolate—eu fiz no microondas, colocando por 1 minuto, mexendo e colocando por mais 1 minuto. Espalhe o chocolate derretido sobre a massa e leve ao congelador por 20 minutos.

Lave e pique os morangos. Separe uma parte e amasse ou pulse no processador até obter 1 xícara de polpa. Coloque numa panela, junte a água, o açúcar, o amido e o suco de limão. Cizinhe em fogo médio ate a mistura engrossar bem. Remova do fogo e deixe esfriar. Pique o restante dos morangos e reserve 10 deles para decorar a torta. Misture os morangos bem picados no molho engrossado. Recheie a torta com essa mistura. Alise bem a parte de cima com uma espátula e decore com o restante dos morangos cortados em fatias finas. Cubra a torta com papel alumínio e leve à geladeira de um dia para o outro. Na hora de servir remova da geladeira, deixe descansar uns minutos, corte em fatias e sirva. Pode servir com creme de leite fresco batido em chantilly se quiser, mas eu não quis.

pudim de coco & limão
[com molho tropical]

pudim-tropical_1S.jpg

Fiz essa sobremesa refrescante algumas semanas atrás puramente para gastar ingredientes. Tinha uns saquinhos de frutas tropicais secas encalhados e eles foram o ponto de partida para esse pudim que ficou muito gostoso. Piquei as frutas secas—mamão, abacaxi e manga—em pedacinhos e cozinhei com um pouquinho de água e açúcar mascavo claro em fogo baixo até a calda engrossar e ficar quase como um xarope. Reservei. Para fazer o pudim usei:

1 xícara de leite de coco
1 xícara de leite integral
Suco e casca ralada de 1 limão
Mel a gosto
1 envelope [1 colher de sopa] de agar-agar

Coloque o leite de coco e as raspas de limão numa panela, salpique o agar-agar por cima e leve ao fogo. Quando começar a ferver desligue o fogo e junte o suco, o leite e o mel. Mexa até o mel dissolver completamente, despeje em forminhas e leve à geladeira. Quando os pudins estiverem bem firmes e gelados retire da geladeira e sirva com o molho de frutas tropicais. Pode desenformar se quiser, mas eu não quis.

cheesecake de abóbora
& chocolate

cheesecake-abobora_1S.jpg

A pilha de revistas estava num canto da sala desde as férias de final de ano, quando eu tive tempo de folhear publicações. Desde então a rotina corrida quase não tem me permitido fazer isso. No dia em que consegui dar uma olhada no que tinha ali e separar o lido do não lido e o que iria para a reciclagem, achei essa receita incrível na edição de novembro de 2011 da revista Sunset [totalmente não lida]. Mesmo não sendo mais tempo de abóboras, resolvi fazer esse cheesecake, que na revista é chamado de no-cook pumpkin chocolate icebox cake. Fiz porque não pode existir receita mais simples. E o resultado é simplesmente espetacular. Usei a abóbora em lata como a receita pede, mas se estivéssemos no outono teria assado ou cozido uma da variedade sugar pumpkin. Além do cheesecake na forma quadrada, coloquei também porções nos copinhos, que ficou bem prático para servir e comer.

3 pacotes (8 oz/ 230 gr cada) de cream cheese
[em temperatura ambiente]
1/2 xícara de açúcar mascavo escuro
1/2 xícara de açúcar comum
1 lata (15 oz/ 425 gr) de abóbora cozida
2 colheres de sopa de half-and-half
[ou creme de leite fresco]
1/8 colher de chá de sal
3/4 colher de chá de pumpkin pie spice
1 colher de chá de extrato puro de baunilha
28 bolachas finas de chocolate [chocolate graham cracker]
Cacau em pó para decorar

Bata o cream cheese com os açúcares na batedeira em velocidade média até obter um creme bem liso. Junte a abóbora, o half-and-half, a pumpkin pie spice e a baunilha e bata até ficar bem cremoso.

Numa forma quadrada cubra o fundo com uma camada das bolachas de chocolate, coloque uma camada da mistura de abóbora e outra de bolacha. Vá intercalando até acabar todas as bolachas e termine com uma camada de creme de abóbora. Cubra com plástico filme e guarde na geladeira de um dia para o outro. Antes de servir polvilhe com o cacau em pó.

panna cotta de limão meyer

Fiz essa panna cotta para gastar uns limões meyers e tive que refazer, porque ela ficou boa demais. pannacotta-limao_1S.jpgDa primeira vez desenformei e decorei com cascas de laranja cristalizadas e da segunda servi direto nessas tacinhas antigas, porque desenformar panna cotta pode ser desastroso. Usei os aromáticos limões meyer, mas pode-se usar qualquer limão ou mesmo laranjas ou tangerinas. Essa receita com buttermilk deixa a panna cotta muito mais leve e delicada. A receita das casquinhas de laranja cristalizadas tirei de um livro sobre tortas da Martha Stewart dos anos 80, que abocanhei por 2 patacas na thrift store, e que é mais ou menos como esta aqui.

faz 8 porções
1/4 xícara de suco de limão [*usei o meyer]
2 colheres de chá [1 envelope] de gelatina em pó sem sabor
1 e 1/4 xícara de creme de leite fresco [heavy whipping cream]
1/2 xícara de açúcar
1 e 1/2 colher de chá de raspas da casca de limão
2 xícaras de buttermilk
1/2 colher de chá de extrato puro de baunilha

Numa panela coloque o creme de leite, o açúcar e as raspas de casca de limão. Leve ao fogo médio e mexa bem até o açúcar dissolver completamente. Numa vasilha coloque o suco do limão e polvilhe a gelatina por cima. Deixe descansar e absorver por 5 minutos. Coloque a mistura de creme de leite sobre a mistura de limão e gelatina. Misture bem com um batedor de arame. Junte o buttermilk e o extrato de baunilha. Misture bem novamente e coloque em forminhas ou copinhos. Leve à geladeira até firmar. Na hora de servir, deixe descansar uns minutos fora da geladeira [pode colocar as formas por uns segundos sobre um dedo de água quente] desenforme num prato ou sirva diretamente nos copinhos.

pannacotta-limao_2S.jpg

torta de creme & pêssego

torta-pessegoAW_1S.jpg

Gostei dessa receita por três motivos—porque ela teve inspiração na Alice Waters e nos seus pêssegos, porque usa essa fruta que está abundante neste final de verão e porque é uma receita facílima. Sem mencionar o fato de que é muito legal poder fazer uma torta sem precisar cozinhar a fruta, podendo assim aprecia-la em todo seu frescor. A receita original leva amêndoas defumadas, mas eu fiz com amêndoas cruas. Se achar as defumadas, faça com elas. Também acho que dá pra diminuir um pouco o açúcar, já que os biscoitos são doces. Eu usei um açúcar demerara baunilhado que faço em casa. A receita recomenda os wafer cookies, tipo Nilla, mas use o tipo que preferir ou que tiver disponível.

2 xícaras [150 gr] de biscoitos
1/2 xícara de amêndoas cruas
1/4 de xícara de açúcar
4 colheres de sopa de manteiga derretida
1 ovo
1 caixinha de 8 oz [230gr] de cream cheese
1/4 de xícara de sour cream
2 pêssegos maduros, porém firmes, sem descaroçados, descascados e cortados em fatias

Pré-aqueça o forno em 350°F/ 176ºC. Num processador de alimentos coloque as bolachas, as amêndoas e 2 colheres de sopa de açúcar [pode por um pouco menos se quiser] e moa bem até obter uma farofa fina. Junte a manteiga derretida e pulse até a farofa ficar bem úmida. Pressione essa massa no fundo e lados de uma forma de fundo removível de 22 cm e asse por 10 minutos.

No mesmo processador coloque o cream cheese, o sour cream, o ovo e mais 2 colheres de açúcar. Processe até obter um creme. Despeje sobre a massa assada e retorne ao forno, por mais 15 minutos. Remova do forno, deixe esfriar um pouco e leve ao congelador por 15 minutos. Numa vasilha misture as fatias de pêssego com o resto do açúcar [eu pinguei um pouquinho de suco de limão também] e misture bem. Remova a torta do congelador e arrange as fatias de pêssego por cima do creme. Remova da forma, coloque numa travessa e sirva.

torta-pessegoAW_2S.jpg

pudim de morango

pudim-morango_2S.jpg

Eu fiz essa sobremesa num outro dia e até tuitei e bloguei, dizendo que era uma gelatina de morango, mais elderflower, mais iogurte, mais agar-agar. E alguns pediram fotos, outros pediram detalhes e muitos não deram a mínima. Mas eu voltei ao assunto, não por causa da popularidade do meu tuite ou blogue, mas porque não consigo parar de comprar morangos do japonês que injeta cada um deles com adoçante no seu laboratório secreto atrás da plantação [ainda não desencanei dessa desconfiança]. E daí que eu até olhei umas receitas e até me animei com uma que levava gelatina. Mas no meio do caminho decidi entrar num atalho, me perdi e acabei fazendo essa receita mesmo, que recebeu apenas uma pequena mudança no modo de fazer—na primeira bati os morangos no liquidificador com o iogurte e nessa mantive os morangos inteiros.

Então lave e corte muitos morangos e encha uma forma [com capacidade para umas 3 xícaras] com eles. Numa xícara prepare a bebida de elderflowers colocando um dedo de xarope [usei esse da Ikea] e completando com água. Coloque numa panelinha, adoce com mel e salpique por cima um envelope de agar-agar [2/3 colher de sopa]. Leve ao fogo e deixe ferver. Desligue o fogo e junte 1 xicara de iogurte natural integral e uma dose de licor de elderflowers [St-Germain]. Misture bem com um batedor de arame e despeje sobre os morangos. Leve à geladeira até esfriar bem e firmar. Desenforme numa travessa e sirva.

Se não tiver a dupla de xarope/licor de elderflower tente outras variações como suco de laranja/licor Grand Marnier ou Cointreau, ou suco de limão/Limoncello.

pudim-morango_3S.jpg

raspadinha de cereja
[cherry snow cone]

cherry-snow_1S.jpgIsso é certamente uma raspadinha, mas não é uma raspadinha qualquer. Fica uma sobremesa ultra sofisticada, além de ser incrivelmente refrescante e deliciosa. Fiz essa receita com as últimas cerejas da estação, o que permitiu um encerramento da temporada com chave de ouro. Fico sempre meio triste quando vou comprar uma fruta e escuto que é a última leva da temporada. Mas faz parte da vida, né? Vão-se as cerejas, mas chegam os pêssegos e os melões e assim vamos indo, sempre em frente—ou melhor, em círculos.

serve uma porção
1/2 xícara de cerejas frescas descaroçadas
1 colher de sopa de açúcar turbinado [ou outro açúcar similar]
1 raminho de hortelã fresco
1 colher de chá de suco de limão [ou de laranja]
1 colher de sopa de Pernod [qualquer bebida de anis]
1 colher de sopa de creme de leite fresco
1 xicara de cubos de gelo

Num copo largo e fundo coloque as cerejas, o açúcar, as folhinhas de hortelã picadas com as mãos, os suco de limão e o Pernod. Esmague bem com um cabo de madeira [aqueles de fazer caipirinha são perfeitos] até formar um liquido.

Bata o gelo no liquidificador até ficar bem triturado. Coloque o gelo triturado num copo ou taça. Coloque a mistura de cereja—pedaços de fruta e liquido, sobre o gelo. Adicione o creme de leite e sirva imediatamente.

cherry-snow_2S.jpg

panna cotta de chocolate

pannacotta-choc_1S.jpg

Essa panna cotta ficou realmente surpreendente, pois apesar de ser chamada de panna cotta, não tem creme nenhum nos ingredientes. Pra quem quer se jogar numa sobremesa suntuosa, sem esquentar a moringa. Eu não escolho receitas por porcentagem de calorias, gorduras ou açúcar. Escolho por causa dos ingredientes interessantes ou das misturas inusitadas. E essa sobremesa tem todas essas qualidades. Além de ser levinha. Saiu de uma folha rasgada de uma das minhas revistas Sunset antigas. Fica absurdamente cremosa e chocolatuda. Experimente fazer e depois me conte o que achou. Comemos acompanhados de morangos madurinhos.

2 colheres de chá de gelatina em pó sem sabor
2 xícaras de leite [low-fat/ 1%] dividido
3/4 xícara de açúcar
85 gr [3 oz] de chocolate meio amargo picado
1/4 xícara de cacau em pó puro, sem açúcar
1 e 2/3 xícara de iogurte grego natural
1 colher de chá de extrato puro de baunilha
Raspinhas de chocolate para decorar

Numa vasilha pequena coloque 1/2 xícara de leite e polvilhe a gelatina por cima. Deixe descansar por 1 minuto, daí mexa com uma colher e deixe descansar mais 10 minutos.

Numa panela média coloque o restante 1 1/2 xícara de leite, o açúcar, o chocolate meio amargo e o cacau e leve ao fogo médio até ferver, por uns 3 minutos. Adicione a mistura de gelatina e bata bem até dissolver completamente. Deixe esfriar, por uns 15 minutos.

Numa vasilha grande bata o iogurte com o extrato de baunilha até formar um creme liso. Pode bater com o batedor de arame. Junte a mistura de chocolate, passando o liquido por uma peneira. Misture bem e despeje em 8 ramequins levemente untados com óleo vegetal. Cubra com plástico e gele até ficar bem firme. Para desenformar passe uma espátula de metal nas bordas do ramequin e vire num prato ou travessa. Decore com raspinhas de chocolate e sirva.

gelado de damasco fresco
[& manjericão]

aprocot-basil-ic_1S.jpg

Entramos no verão com três dias de temperaturas acachapantes. Pra compensar a primavera fria, afinal os tomates precisam de calor, muito calor! Não vi ninguém reclamando. Eu também não reclamei. Fiz até o meu almoço-picnic no banco do páteo atrás do prédio do meu trabalho, como de costume. Só os esquilos que não deram as caras, afinal, estava muito quente. Aproveitando a ondaça tórrida, preparei essa receita deliciosa de picolés, que infelizmente não sairam fotografáveis, Por um mal entendido da minha parte, fiz algo errado na hora de montar os moldes e quando fui desenformar todos os dez picolés quebraram no meio. Removi tudo das formas e comemos em potinhos de colherada. Sem estresse. E depois preparei esse sorvete de massa, onde usei os ingredientes frescos que abundavam na minha cozinha. Os damascos estão no pico da estação, super doces. Fiz tudo meio no olhometro. Adoro misturar frutas com booze e frutas com ervas!

1 e 1/2 xícara de creme de leite fresco
6 damascos frescos descaroçados
1 punhadinho de folhas de manjericão fresco
Mel a gosto
[*um splash de vodka se quiser]
Bata todos os ingredientes no liquidificador, coloque na sorveteira e depois guarde num pote de vidro com tampa na congelador.

mousse de melão

mousse-melao_1S.jpg

Estou ficando amiga da dona daquela fazenda orgânica que fica no inicio da county road 99, na saída de Woodland. É muito mais um esforço da minha parte. Mas sendo ela de uma imensa simpatia, me sinto super a vontade para me aproxegar e puxar papo quando vejo ela vendendo seus produtos no Farmers Market da cidade. No sábado comprei dela um melão da variedade galia, que perfumou toda a minha cozinha com seu aroma de fruta madura. Me apressei para abri-lo e me deliciei com a doçura imensa da fruta. Um melão orgânico colhido pela manhã e consumido à tarde. Não dá pra ser melhor que isso.

No meu convercê com a fazendeira no sábado, fiz mil perguntas, queria saber se ela conhecia alguém que vendesse carne grass-fed por aqui, pra eu não precisar dirigir até Davis só pra isso. Gotcha! Ela me disse que o Farmers Market da terça-feira tinha vendedor de carne e outro de frango caipira. Já achei uma outra banca que vende os ovos da felizberta. Tô me virando bem na cidade nova e já não me sinto mais tão estrangeira.

Quando fui comprar a carne, vi a moça novamente vendendo melões e berries. Fui papear com ela e comprei uma cestinha de marionberries e outro melão—desta vez um da variedade ambrosia. Cheguei em casa, cortei o melão que ainda estava morninho de sol, e decidi fazer uma mousse. Queria usar iogurte, mas quando vi que o que tinha não iria dar, substitui por sour cream. Foi uma boa decisão. Como usei o agar-agar, uma hora depois já pude comer a sobremesa, que fechou deliciosamente o nosso primeiro dia de verão, que foi particularmente tórrido.

1 melão pequeno [usei da variedade ambrosia]
1/2 xícara de sour cream
1 xícara de limonada feita em casa
Mel a gosto
1 envelope de agar-agar [2/3 colher sopa]

Coloque o melão descascado e sem sementes cortado em cubos no liquidificador. Junte o sour cream e bata bem até obter um purê. Adoce com mel a gosto. Eu usei um mel de blackberries porque sou fancy, mas qualquer mel de boa qualidade serve. Deve dar umas 2 xícaras de purê. Coloque numa vasilha e reserve. Numa panelinha, coloque a limonada [ou suco de outra fruta ou mesmo somente água], salpique o agar-agar por cima e leve ao fogo. Quando ferver, desligue o fogo e remova a panela. Misture o suco com agar-agar no purê de melão e mexa bem até ficar tudo incoporado. Coloque numa forma molhada e leve à geladeira até firmar e gelar. Desenforme e sirva decorado com fatias finas de melão se quiser. Fica ultra cremoso!

panna cotta de coco
[com ameixa em calda]

manjar-branco-fino_1S.jpg
manjar-branco-fino_2S.jpg

Essa é uma panna cotta, feita com uma receita de panna cotta, nem tenha dúvida. Mas confesso que a minha real intenção foi fazer um manjar branco, só que com ingredientes melhores, sem ter que engrossar o creme com maizena—que é como eu me lembro que os manjares brancos eram feitos. Tirando esse detalhe, o resto é bem semelhante à nossa sobremesa clássica brasileira. Servida com a calda de ameixas, que sempre foi a melhor parte pra mim. Uma sobremesa que é a combinação perfeita do creme com a fruta.

Usei a receita de panna cotta da Alice Waters que sempre uso porque é fácil de fazer fica sempre perfeito. Só fiz a adaptação para incluir o leite de coco. Usei um leite de coco orgânico que tive que praticamente cortar com a faca para remover da lata. E o creme de leite fresco de sempre, também orgânico e que também preciso cutucar pra ele sair do vidro. Eu acho que esses detalhes de qualidade fazem a diferença no final. Para a calda, usei umas ameixas naturebas sem sorbato de potássio. Essa panna cotta ficou absurdamente sedosa e cremosa. Um verdadeiro manjar!

para o creme:
2 xícaras de creme de leite fresco
2 xícaras de leite de coco
1/4 xícara de açúcar
1 envelope de 7 gr de gelatina em pó sem sabor
3 colheres de sopa de água

Dissolva 7 gr de gelatina em pó sem sabor em 3 colheres de sopa de água. Reserve. Numa panela, coloque as xícaras de creme de leite e de leite de coco e o açúcar. Leve ao fogo médio e esquente bem a mistura, mas não deixe ferver. Remova do fogo e adicione a mistura de gelatina e mexa bem. Se precisar bata com um batedor de arame. Coloque em uma forma grande molhada ou em forminhas individuais. Leve à geladeira por pelo menos 6 horas.

para as ameixas:
2 xícaras de ameixas secas
3/4 xícara de açúcar
1-1/2 xícara de água
Suco e raspas da casca de 1 limão [*usei o Meyer]

Misture todos os ingredientes numa panela, deixe ferver, abaixe o fogo e cozinhe até formar uma calda grossa. Desligue o fogo, deixe esfriar bem e sirva as ameixas com a panna cotta.

melão com molho de iogurte e hortelã

melao-iogurtehortela_1S.jpg

Outro livro lindo da Phaidon—Recipes from an Italian Summer—que me encantou, como todos os livros dessa editora, pela qualidade da encadernação, impressão e das fotos tão lindas e simples, que deixam você com a certeza de que poderá fazer facilmente aquelas receitas. Neste livro, a sensação de familiaridade é onipresente. Pra mim, talvez, por causa da forte influencia das tradições italianas na minha vida. Ou também porque o livro evoca uma atmosfera de refeições em família—festejos, almoços de finais de semana, picnics. E ele traz apenas receitas de verão, com ingredientes disponíveis nesta estação. O livro caiu nas minhas mãos na hora exata e serviu como uma luva. As sobremesas principalmente, a maioria usando frutas frescas, todas elas presentes neste momento na minha cozinha. Não sabia exatamente por onde começar, então comecei pela fruta que estava mais madura e esperando para ser usada. No verão os melões abundam por aqui. Aparecem em muitas variedades, cascas, cores e perfumes. Final de julho, inicio de agosto começo a recebê-los toda semana na cesta orgânica. Mas também compro alguns extras, todos locais e orgânicos, quando vejo algo diferente ou quando preciso de mais. Deixo o melão descansando por uns dias na fruteira e me encanto com a maneira delicada e adocicada com que eles perfumam o ambiente da minha cozinha.

Essa receita não tem absolutamente nada de especial nem de complicado. O importante é que o melão esteja bem maduro e doce e o iogurte e o mel sejam da melhor qualidade. Pode ser sobremesa ou café da manhã ou um lanchinho para ser servido a qualquer hora. Simples e requintado, justamente como eu gosto!

Corte o melão ao meio, remova as sementes e remova bolas da polpa com uma colher apropriada pra isso. Ou corte em cubinhos. Misture iogurte integral com mel a gosto e tempere com folhinhas de hortelã fresco picado. Leve o melão cortado e o iogurte temperado à geladeira e na hora de servir coloque as bolinhas de melão em potinhos individuais e junte uma porção do iogurte. Sirva.

cheesecake congelado
de morango

cheesecakepink.jpg

Cruzei com essa receita várias vezes durante um periodo de algumas semanas. Sempre me interesso pelas novidades, pelas idéias diferentes e a desse cheesecake congelado simplesmente foi para o trono. Já tinha as tâmaras compradas fresquinhas no Farmers Market e fui logo comprando todos os ingredientes que eu não tinha, como o mascarpone e o iogurte grego. Daí alguma coisa aconteceu que me preveniu de preparar a receita. O mascarpone foi gasto em camadas espalhadas em fatias de pão, o iogurte virou molho de salada e sorvete, depois o Uriel viajou, logo em seguida eu viajei também e ficou tudo por isso mesmo. Voltei a cruzar novamente com a receita, que copiei mais uma vez, naquela incerteza nebulosa de que já tinha feito planos com aqueles ingredientes. Comprei mais marcarpone, mais iogurte e um saco de amêndoas frescas. Decidi usar uns morangos orgânicos congelados, que comprei enlouquecidamente de um fazendeiro no Farmers Market e tinha guardado em sacos no freezer. Num dos dias e que fiquei de molho em casa me recuperando da gripe, fugi da cama e coloquei a sobremesa em prática. No jantar daquela noite tivemos dois convidados adolescentes para quem servi fatias do cheesecake. Levei até um susto quando na primeira garfada um dos guris exclamou quase gritando—NOSSA, QUE DELÍCIA!

Esse cheeesecake sem açúcar, sem farinha e que não precisa assar, fica assim mesmo delicioso, ao ponto da gente exclamar frases de elogios entusiasmados. Meu marido, que afirmou não gostar de tâmaras, mas ter gostado imensamente do resultado dessa receita, expressou seu entusiasmo de outra maneira. Naquele seu jeito romântico bem peculiar, ele escreveu o meu nome com a ponta da faca na superfície do cheesecake, na frente dos nossos convidados e antes mesmo de eu poder fotografar a sobremesa para o blog!

frozen pink cheesecake
massa:
300 gr [2 xícaras] de amêndoas
10 ou 12 tâmaras frescas descaroçadas
2 colheres de sopa de óleo de coco
Uma pitada de sal

recheio:
2 xícaras de morangos e framboesas, frescos ou congelados
[*usei apenas morangos orgânicos congelados]
Suco de 1/2 limão
1/2 xícara de mel
1 xícara de queijo mascarpone
1 xícara de queijo quark ou curd
[*pode substituir por iogurte grego integral]

No processador, moa as amêndoas por uns minutos. Adicione as tâmaras, o óleo de coco e sal e pulse até formar uma massa bem rústica. Coloque essa massa numa forma de fundo removível de 20 cm / 8 inch. Coloque na geladeira, enquanto faz o recheio.

Bata as frutas com o suco de limão e o mel. Pode ser no liquidificador ou no processador. Junte o mascarpone e o quark [ou o iogurte, que foi o que eu usei]. Coloque essa mistura na forma forrada com a massa e leve ao congelador por pelo menos 2 horas. Remova do congelador e deixe amolecer um pouquinho antes de servir. Se quiser pode decorar o cheesecake com flores comestíveis e frutas. Eu não decorei.

frutas com buttermilk e mel

frutas-buttermilk_1S.jpg

A Martha S. pode ser a maior malandra, ninguém questiona esse detalhe, mas ela é também a maior centralizadora e divulgadora de boas idéias. Como esta, de uma receita refrescante e vigorosa usando as frutas da estação, que podem variar conforme a demanda. Na versão publicada na MSL, foram usados morangos, blueberries e blackberries. Eu usei morangos, blueberries e framboesas. Use o que você tiver em mãos. É uma boa idéia para incrementar um lanche da noite num domingo de verão ou para sofisticar qualquer café da manhã ou brunch.

serve de 4 a 6 porções
2 xícaras de buttermilk gelado
1 xícara de cubos de gelo
1/3 xícara de mel
3 xícaras de frutas misturadas
1/2 xícara de folhas de hortelã fresco
Bata o buttermilk, cubos de gelo e mel no liquidificador até ficar um liquido espumoso. Divida as frutas em vasilhas individuais, despeje o buttermilk batido e decore com as folhas de hortelã. Sirva imediatamente.

parfait de pêssego com creme de mascarpone

Outra sobremesa preparada com fruta fresca da estação, super prática pra se fazer numa pessego-italiano_1S.jpgpiscada e finalizar o jantar, mesmo num dia se semana corrido. E ela ainda tem o adendo de levar uma dose de booze, detalhe que na minha opinião deixa tudo muito mais interessante. Achei a receita no website do Foster's Market. Ficou super refrescante e realmente sofisticado. Um dos meninos hospedado aqui em casa experimentou, no inicio meio desconfiado, e simplesmente pirou o cabeção. Conseguir impressionar adolescente com um doce assim tão simples, é um feito para ser adicionado no currículo de vida, né?

faz duas porções
2 pêssegos orgânicos bem maduros
2 colheres de sopa de vin santo ou outro vinho doce de sobremesa
1/2 xícara de creme de leite fresco
1/2 xícara de queijo mascarpone
1/4 xícara de açúcar

Numa vasillha coloque os pêssegos descaroçados e sem pele, cortados em cubinhos e regue com o vin santo ou outro vinho doce da sua preferência. Deixe marinar. Enquanto isso, bata o creme de leite na batedeira até formar picos. Junte o queijo mascarpone e o açúcar e bata até misturar bem. Monte o parfait colocando uma camada de pêssegos, outra de creme, outra de pêssego, outra de creme. A última camada deve ser de creme. Salpique com biscoito de amareto ou de gengibre moído. Eu usei um biscoitinho japonês de chocolate. Se não servir imediatamente, coloque na geladeira.

gelatina de vinho com frutas

gelatina_vinho_1S.jpgNesta época não tem jeito, tudo gira em torno das frutas por aqui. E eu adoro! Por isso estou com o novo livro da Deborah Madison, Seasonal Fruit Desserts pra lá e pra cá, abrindo e fechando, marcando páginas e sofrendo com ansiedade por não poder por todas as receitas em prática de uma só vez. Aos pouquinhos, vou testando. E essa com gelatina já brilhou no palco iluminado, exatamente como deveria. Ela recomenda um vinho doce ou espumante. Eu usei um Sauvignon Blanc e achei que ficou perfeito. As frutas ficam a critério de cada um. Eu usei cerejas rainier, pêssegos e blueberries. A autora avisa que por causa do alcool essa gelatina demora mais para solidificar e é isso mesmo. Planeje fazer de um dia para o outro. E lembre-se que essa sobremesa é só para maiores de 18 anos—ou de 21, dependendo do país onde você estiver! [Pisc!]

1 pacotinho [8 gr ou 1 e 1/8 de colher de sopa] de gelatina em pó sem sabor
1/3 xícara de açúcar orgânico
1/2 xícara de vinho [ou água, eu usei vinho]
1 1/2 xícara de vinho
2 colheres de sopa de suco de limão
1 1/2 xícara de frutas frescas cortadas em pedaços pequenos [ se quiser salpique com um pouquinho de açúcar e pingue suco de limão]

Numa vasilha pequena coloque 1/4 xícara de água ou vinho [usei vinho] e polvilhe a gelatina por cima. Reserve.

Numa panela misture 1/2 xícara de vinho com o açúcar e leve ao fogo, mexendo bem com um batedor de arame até o açúcar dissolver completamente. Remova do fogo e junte a mistura de gelatina. Mexa bem e adicione o resto do vinho e o suco de limão. Coloque num refratário molhado e leve à geladeira até a gelatina ficar firme—pelo menos umas 6 horas. Corte a gelatina em cubos com uma faca, coloque em copos ou taças alternando com a fruta picada. Sirva imediatamente.

pudim com morango & água de rosas

p-aguarosa-morango_1S.jpg
p-aguarosa-morango_2S.jpg

Acho que nunca fiz uma sobremesa que tenha causado tanto entusiasmo no meu marido. Quando ele elogia, é sempre com intensa sinceridade. Ele chamou de panna cotta. Eu resolvi chamar de pudim. Fiquei um pouco receosa que o perfume da água de rosas fosse ser um problema, porque não é todo mundo que gosta desse tipo de aroma na comida. Mas neste caso, foi a água de rosas que fez toda a diferença. Adoramos. Ao invés de colocar em moldes para desenformar, resolvi usar potinhos pequenos, alguns deles são porta velas de vidro. Ficaram fofíssimos. A receita fez 8 potinhos pequenos.

1 xícara de morangos orgânicos picadinhos
1 colher de sopa de açúcar
1 colher de sopa de água de rosas
Pique o morango, misture com o açúcar e a água de rosas e distribua pelos potinhos, uma colher de sopa em cada um. Reserve.

1 xícara de creme de leite fresco
1 xícara de leite integral
3 colheres de sopa de açúcar
1 pacotinho de 4gr [1 colher sopa] de agar-agar
2 colheres de sopa de água de rosas

Numa panela, coloque o creme de leite e o açúcar e mexa bem com um batedor de arame até o açúcar dissolver bem. Adicione o agar-agar e leve ao fogo médio, até o creme ferver. Remova do fogo. Adicione o leite e a água de rosas, mexa bem para incorporar e distribua o creme pelos potinhos com os morangos picados no fundo. Leve à geladeira até firmar. Com o agar-agar o processo é rapidíssimo, então dá pra fazer enquanto prepara a refeição e já servir logo em seguida como sobremesa.

pudim de coco queimado

pudim-cocoqueimado_1S.jpg
pudim-cocoqueimado_2S.jpg

Semanas atrás inventei que iria fazer um bolo de coco de camadas. Comprei os flocos de coco e tudo, mas não fiz bolo nenhum. Estava planejando procurar receitas com coco, quando vi uma garrafa de nectar de coco na prateleira de sucos no Co-op. Pronto, tava resolvida a questão. Ou pelo menos parte dela. Decidi fazer um pudim, no mesmo estilo das outras variações de sobremesa usando a agar-agar. Ficou bem diferente, porque o nectar de coco é muito mais aguado do que o leite. Mas pode-se fazer com leite de coco, misturado com leite integral para uma versão mais robusta.

2 xícaras de nectar de coco
[ou 1 xícara de leite de coco e 1 xícara de leite]
2 colheres de sopa de açúcar mascavo escuro
1/2 xicara de flocos de coco tostados [*fiz na frigideira]
1 saquinho de 4 gr [1 colher de sopa] de agar-agar

Toste os flocos de coco na frigideira ou no forno. Separe. Numa panela coloque as 2 colheres de sopa de açúcar mascavo e leve ao fogo médio, mexendo sempre até o açúcar derreter e formar um caramelo espesso. Cuidado, fique de olho pois o processo é bem rápido e o caramelo pode queimar. Com o açúcar mascavo escuro o caramelo fica cremoso e leitoso. Junte 1 xícara do nectar de coco e mexa bem com um batedor de arame até o caramelo derreter completamente. Junte o agar-agar, deixe ferver, desligue o fogo, adicione a outra xícara de nectar de coco e 1/3 da xícara de flocos de coco. Separe o restante para salpicar sobre os pudins na hora de servir. Coloque o liquido em forminhas molhadas—dá quatro forminhas, e leve à geladeira até firmar. Na hora de servir, desenforme num prato, decore com os flocos de coco e se quiser sirva com frutas frescas.

pudim de earl grey & lavanda

earl-grey-pudim_1S.jpg

Meses atrás eu e a Leila fomos à uma loja de chás muito bacana e moderna em Sacramento. Tirei umas fotos bem legais usando o iPhone, mas acabei não publicando nada, sei lá por que. Naquele dia comprei pacotes de chá com folhas de ervas misturados com frutas e um de earl grey com lavanda. Os chás de fruta bebemos quase tudo como chá quente ou gelado misturado com suco de limão, mas o earl grey com lavanda me deixou divagando com muitas idéias na cabeça. O earl gray já é um chá ultra aromático, com a adição da lavanda ele ficou incrivel. Eu tinha que usar pra fazer alguma receita. Primeiro pensei num sorvete [e ainda não descartei a idéia], mas no meio do caminho mudei de rumo e decidi fazer um pudim. Usando o agar-agar, of course. Como tudo que é feito com essa gelatina de algas, esses pudins ficaram prontos numa piscada. Usei umas forminhas de cobre vintage que estava animada para estrear. Os pudins ficaram deliciosos. Se você não achar o earl grey com lavanda, tenta fazer a sua mistura, comprando os ingredientes separados. Por aqui, esse chá é bem fácil de achar. Prefira o de folhas soltas.

1 xícara de creme de leite fresco
2 colheres de sopa de chá earl grey com lavanda
1 pacote de 4 gr ou 1 colher de sopa de agar-agar
1 xícara de leite integral
Mel [ou outro adoçante da sua preferência] a gosto

Numa panela coloque o creme de leite e as folhas de chá. Leve ao fogo médio e deixe ferver. Desligue o fogo e deixe a mistura descansar por uns 10 minutos. Passe tudo por uma peneira fina, para remover as folhas de chá. Volte o creme para a panela, junte o mel e o agar-agar. Leve novamente ao fogo somente até ferver. Remova a panela do fogo, adicione o leite, bata bem com um batedor de arame e distribua pelas forminhas molhadas com água—deu quatro formas pequenas. Leve à geladeira e quando firmar solte as beiradas cuidadosamente com uma faca e vire os pudins em pratos ou travessas.

mousse de chocolate
[com calda de amora e mel]

moussechoc-amo_1S.jpg
moussechoc-amo_2S.jpg

Uma sobremesa cremosa com chocolate estava me rondando há tempos. Por várias vezes comprei barras de chocolate para fazer algo diferente, mas acabava sempre usando para outras coisas, principalmente para refazer este chocolate quente parisiense, que repeti infinitamente. Procurando por uma idéia legal, vi nas últimas páginas do livro da Skye Gyngell, My Favorite Ingredients, uma panna cotta de chocolate com calda de amoras e mel. Era isso! Eu só precisava dessa visão inspiradora e a partir dali criei a minha própria receita, que chamei de mousse de chocolate. Uma mousse sem nenhum ovo e que ficou deliciosamente cremosa e, é claro, chocolatuda.

200 grs de chocolate meio amargo [*usei o 70% da Lindt]
1 colher de sopa de mel
1 pitada de sal
2 xícaras de leite integral
1 1/2 xícara de creme de leite fresco
9 grs de gelatina agar-agar

Numa panela misture o leite, o chocolate quebrado em pedacinhos, o sal, o mel e a gelatina agar-agar. Leve ao fogo baixo e mexa com um batedor de arame até o chocolate derreter e a gelatina dissolver. Deixe chegar ao ponto de fervura. Desligue fogo. Junte o creme de leite, bata bem para incorporar e coloque tudo numa forma molhada. Leve a geladeira até firmar. Desenforme e sirva com as amoras, que devem ser cozidas rapidamente com um pouco de mel. Eu usei amoras orgânicas congeladas.

torta de morango & iogurte

torta-morango_y_1S.jpg

Essa torta de morango é o fino da bossa—deliciosa, refrescante e o tempo de preparo é de quinze minutos. Sim, QUINZE MINUTOS senhoras e senhores! Eu que sou uma atrapalhada e desajeitada consegui preparar tudo nesse meio tempo, enquanto finalizava o almoço. Se eu pude fazer, qualquer um pode. A receita original, que saiu na edicão de agosto de 2006 da revista Gourmet, levava blueberries. Mas eu tinha morangos e foi com eles então que fiz a torta.

1 envelope de gelatina sem sabor [4 gr]
1 xícara de creme de leite fresco
2 xícaras de iogurte grego integral ou iogurte integral comum drenado
1/2 xícara de açúcar
1 colher de chá de extrato puro de baunilha
2 xícaras de morangos picados [ou bluberries]
200 gr de preparado de bolacha ou as bolachas moídas e misturadas com 4 colheres de sopa de manteiga

Coloque a bolacha moída com a manteiga ou o preparado numa forma de torta apertando bem com os dedos. Reserve.

Coloque 3 colheres de sopa de água numa panela pequena e polvilhe a gelatina em pó. Deixe descansar por 5 minutos e depois aqueça em fogo bem baixo, mexendo sempre com um batedor de arame, até a gelatina dissolver completamente. Numa vasilha pequena misture a gelatina e 1/4 do creme de leite. Numa outra vasilha misture o iogurte, o açúcar e a baunilha. Junte a mistura de iogurte à de gelatina. Misture bem e leve à geladeira por 5 minutos.

Enquanto isso bata o restante do creme de leite na batedeira até formar picos. Misture esse chantily e 1 xícara e 3/4 dos morangos picadinhos à mistura de iogurte e gelatina que estava na geladeira.

Coloque a mistura de creme e frutas na forma de torta forrada com a massa de bolacha. Decore com o restante dos morangos e leve à geladeira por uns 30 minutos. É o tempo servir o almoço ou jantar, comer tranquilamente e ao final ter uma sobremesa fresca e deliciosa para servir.

gelatina de cereja negra

gelatina_cereja_1S.jpg

Às vezes me dá uma vontadezona de comer gelatina, mas não daquelas de caixinha e sim das feitas com suco de fruta. Folheando a revista da MS do mês de maio, vi várias sugestões de sobremesa com gelatina. Todas me animaram, mas uma me encantou pela cor e sabor. A receita original levava vinho, mas eu não coloquei. Fiz com suco de cerejas negras e cerejas negras congeladas, pois as frescas ainda não deram as caras por aqui. A minha gelatina ficou bem mais escura do que a da MS, mas ficou deliciosa!

4 envelopes de 7 gr cada [28gr total] de gelatina em pó sem sabor
1 xícara de suco de cerejas negras orgânico frio
3 xícaras de suco de cerejas negras orgânico aquecido até o ponto de fervura
Mel ou agave nectar a gosto para adoçar
Cerejas negras orgânicas congeladas — quatro unidades cortadas ao meio para cada potinho

Numa vasilha grande e rasa, polvilhe a gelatina na xícara de suco frio e deixe dissolver bem, por 1 minuto. Numa panela esquente as 3 xícaras restantes de suco ao ponto de fervura e despeje sobre a mistura de gelatina. Mexa com um batedor de arame para dissolver bem. Junte mel ou agave nectar a gosto, misture bem, despeje nos potinhos com as cerejas divididas em cada e leve à geladeira por no mínimo 3 horas.

panna cotta de laranja vermelha

pannacotta_laranja_1S.jpg

A panna cotta é uma sobremesa sempre presente aqui em casa, porque ela é facílima de fazer e aceita a adição de frutas das mais diversas maneiras. Além do que o Uriel adora. Vi essa receita no website de uma dessas revistas que se pega de grátis na porta do supermercado. Gamei na hora, pois sou fanzoca dos citrus, que ainda estão na onda por aqui. E a blood orange—laranja vermelha é uma das frutas que eu queria usar ainda mais uma vez, antes que elas desapareçam do mercado. Por causa da cor especial da laranja vermelha, essa panna cotta fica com um visual lindo. Use potinhos de vidro. Eu usei copinhos.

Faz 6 porçoes
1 colher de sopa de água
1 colher de chá de gelatina em pó sem sabor
1 xícara de creme de leite fresco
1 xícara de iogurte natural [nonfat]
1/4 xícara de açúcar *usei a mesma medida de agave nectar
Raspas da casca de duas laranjas vermelhas
3 laranjas vermelhas cortadas em fatias finas

Dissolva a gelatina na água. Numa panela pequena coloque o creme de leite, o açúcar [ou agave nectar, ou mesmo mel] e as raspinhas da casca das laranjas e leve ao fogo médio, mexendo com uma colher de pau, espátula ou batedor de arame até o açúcar dissolver. Não deixe ferver. Remova do fogo e junte a gelatina dissolvida. Mexa bem até a gelatina se misturar completamente. Adicione o iogurte e misture. Distribua as fatias de laranja entre seis potinhos e coloque o creme por cima. Leve à geladeira por pelo menos 4 horas.

strawberry trifle

strawberry_trifle_1S.jpgstrawberry_trifle_2S.jpg
strawberry_trifle_3S.jpg

Os trifles são facílimos de fazer, ficam deliciosos e sempre resultam num visual bacanoso, impressionando os convivas em festas e jantares. Eles também são o fino da bossa porque sempre levam um tipo de fruta, fresca ou até mesmo congelada. Nesse eu usei morangos frescos e orgânicos. As camadas ficaram assim:

  • Fatias finíssimas de um butter pound cake [*comprei pronto] regadas com licor Grand Marnier
  • Morangos fatiados e salpicados com um pouquinho de açúcar baunilhado
  • Chantily feito com creme de leite fresco da melhor qualidade [* eu uso o da Strauss Family Creamery], adoçado com um pouquinho de açúcar de confeiteiro e um pingo de extrato puro de baunilha

Vai alternando as camadas até não caber mais. Manter na geladeira por muitas horas, quanto mais tempo melhor. Servir gelado.

gelado de milho

sorvete_de_milho_S.jpg

Fiz novamente o famoso sorvete da pamonha, que pra mim é uma das coisas mais deliciosas desse mundo. Eu perco a pose de moça fina, pois não consigo parar de comer essa gostosura com sabor de roça! Já estou com uma abundância de espigas na geladeira e estou feliz, pois este ano a fazenda plantou da variedade amarela, que é a que mais gosto. Esse milho é de uma doçura ímpar. A receita é quase a mesma, só substituí o buttermilk por creme de leite fresco e o açúcar demerara por néctar de agave.

gelatina de frutas vermelhas

gelatina_frutas_v_1S.jpgGelatina de fruta é uma sobremesa tão fácil de fazer e fica sempre tão gostosa, refrescante para os dias quentes, com mil variações e possibilidades. Não sei por que eu não faço gelatina mais frequentemente. Essa receita saiu da revista Everyday Food e levava apenas framboesas, mas eu fiz com uma mistura de framboesas, morangos e mirtilos. Achei o resultado um pouco doce pro meu gosto. Se refizer, vou omitir o açúcar e colocar um pouco mais de mel.


2 envelopes de 8 gr—1/4 ounces de gelatina em pó sem sabor
1 1/2 xícara de frutas frescas
ou 1 pacote de 350 g—12 ounces de frutas congelada
1/2 xícara de açúcar
1 pitada de sal
1/4 xícara de mel

Salpique a gelatina em 1/4 xícara de água gelada e deixe dissolver, por mais ou menos 10 minutos. Enquanto isso cozinhe as frutas numa panela com o açúcar [se gostar de coisas doces], 2 xícaras de água e uma pitada de sal. Cozinhe por mais ou menos 5 minutos, até as frutas amaciarem e dissolverem, Retire do fogo, acrescente a gelatina dissolvida e o mel e misture bem. Passe a mistura por uma peneira fina ou food mill. Meça 4 copos de liquido, se precisar acrescente mais água. Divida em seis potinhos, deixe esfriar, cubra com plástico e leve a geladeira até ficar firme.

pudim de padaria

pudim_padaria_S.jpg

Não sei de onde saiu essa receita que estava guardada nos meus alfarrábios. Pudim de padaria era um dos meus doces favoritos. Nunca fui chegada em coisas rebuscadas, com muitas camadas, recheios de chocolate, cheias de creme e mil tremeleques. O pudim de padaria e a bola de rum eram sempre os doces escolhidos, quando eu me postava na frente de alguma vitrine de qualquer doceria. Era um doce tão simples, que quase não tinha graça. Foi a primeira vez que fiz esse pudim em casa. Eu e o Uriel devoramos sozinhos metade do doce, acompanhado de canecas de chá de menta.

3 ovos caipiras
2 xícaras de açúcar baunilhado
2 xícaras de leite integral
1 1/2 xícara de farinha de trigo
4 oz/ 100 gr.de queijo parmesão ralado
1 colher de sopa de manteiga amolecida.

Caramelize uma forma quadrada e funda. Reserve. Coloque todos os ingredientes no liquidificador e bata bem. Despeje a massa na forma caramelizada e asse em banho-maria, em forno pré-aquecido em 365ºF/185ºC, até a massa ficar firme e dourada. Remova da forma depois de frio, corte em retângulos e sirva.

lemon squares

lemon_bars_s.jpg

Receita da Everyday Food, para tentar gastar meus limões, pois ainda tenho muitos na árvore. Quando eu digo limão é sempre o amarelo. Essas lemon squares são fáceis de fazer e ficam, hmmmm, deliciosamente cítricas.

Lemon squares

Faça a massa, colocando no processador:
3/4 xícara de farinha
1/3 de açúcar de confeiteiro
1/4 xícara de amido de milho, maizena
1/4 colher de chá de sal
1/2 xícara [1 tablete--113gr] de manteiga sem sal cortada em cubinhos

Bata todos os ingredientes secos, junte a manteiga e pulse até obter uma farofa grossa. Pressione essa farofa no fundo de uma forma quadrada e funda, untada com manteiga e forrada com papel vegetal—use uma folha maior que a forma, que vai ajudar a desenformar o doce depois de pronto. Ponha na geladeira por 15 minutos. Então asse em forno pré-aquecido em 350ºF/176ºC por 20 minutos, até a massa ficar ligeiramente dourada. Enquanto assa a massa, faça o recheio.

Na batedeira coloque 4 ovos grandes e bata até formar um creme. Adicione 1 xícara de açúcar, 2/3 xícara de suco de limão, 1/4 xícara de farinha de trigo, 1/2 colher de chá de fermento em pó e 1/2 colher de chá de sal. Bata bem. *eu acrescentei também as raspas da casca de um limão.

Retire a massa do forno, deixe esfriar u pouco e então coloque o recheio. Abaixe a temperatura do forno para 325ºF/162ºC e asse a torta por mais 20 minutos, até o recheio ficar firme e levemente dourado. Retire do forno, deixe esfriar e depois coloque na geladeira por pelo menos uma hora. Desenforme, puxando os lados do papel vegetal. Coloque num prato e corte em quadradinhos. Pode polvilhar açúcar de confeiteiro por cima, mas eu não fiz. Dá 16 quadradinhos.

mousse de caramelo com laranja

caramel_mousse_oranges.jpg

Fiz essa receita já há algumas semanas, mas como ela foi um total fracasso com a crítica, que declarou resolutamente—ficou muito doce!—e não comeu nem mais uma colherada, perdi o entusiasmo de publicá-la. Apesar de ter uma grave intolerância com coisas super doces, eu comi o mousse sem me contorcer, então concluí que a critica exagerou e se precipitou condenando a receita ao ostracismo.

Ela saiu da edição de abril da Martha Stewart Living, com um nome mais chique e acompanhada de uns biscoitinhos. Eu simplifiquei tudo, do meu jeitão, indo diretamente ao que me interessava. A MS usou vários tipos de cítricos, eu usei somente laranja, então ficou simplesmente Mousse de caramelo com laranja.

Voilá.

1/4 xícara, mais 2 colheres de sopa de água gelada
1 colher de chá de gelatina em pó
1 xícara de acúcar
2 colheres de sopa de light corn syrup - karo light
2 1/2 colheres de sopa de manteiga sem sal em temperatura ambiente
1 3/4 de creme de leite fresco
1/2 xícara de crème fraiche
*se não tiver creme fraiche, use somente creme de leite, totalizando 2 xícaras e 1/4 de creme
Uma pitada de sal

Dissolva a gelatina em 2 colheres de sopa de água gelada. Reserve. Numa panela, coloque o acúcar, o corn syrup e o restante 1/4 xícara de água e leve ao fogo, mexendo sempre em fogo médio, até o acúcar dissolver. Continue mexendo até a mistura ficar cor de ambar escuro, mais ou menos 12 minutos.

Remova a panela do fogo. Coloque na pia a adicione com cuidado a manteiga em cubinhos, batendo sempre com o batedor de arame, até a manteiga dissolver—cuidado, pois o açúcar borbulha e espirra. Adicione 1/4 xícara de creme de leite e 1/4 de creme fraiche [ou 1/2 xícara só de creme de leite]. Bata bem. Adicione a gelatina misturada na água, mexa para incorporar. Deixe esfriar completamente.

Enquanto o caramelo esfria, coloque na batedeira o resto do creme de leite/creme fraiche [ou só o creme de leite] e bata ate formar picos firmes. Coloque o caramelo gentilmente no creme batido, cubra e refrigere por uns 10 minutos.

Corte as laranjas em cubinhos e coloque em taças ou copos. Uma camada de laranja, outra do mousse de caramelo, outra de laranja. Leve à geladeira por um hora. Sirva.

sorbet de morango

sorbet_morango_charlene.jpg

Minha amiga Charlene trouxe essa sobremesa no dia da feijoada, que acabou sendo a finalização perfeita para aquela comilança pantagruélica. Ela fez o sorbet in loco, da maneira mais simples possível. Três ingredientes e um liquidificador. O resultado foi um sorvete saborosíssimo e com essa cor extraordinária. Ela usou um saco de morangos super doces e maduros congelados no final do verão, mel e licor Cointreau a gosto. Bateu tudo muito bem, até obter um creme espesso, que ficou descansando no congelador até a hora de servir.

panna cotta com creme de manga

pannacotta_alice.jpg

Fiz a panna cotta publicada no The Art of Simple Food da Alice Waters. Achei que o creme ficou perfeito. Resolvi arriscar incrementando a receita com a adição de um creme de manga e algumas frutas silvestres no fundo dos potinhos. Ficou excelente e ganhou elogios do critico residente da minha cozinha!

Panna Cotta

Dissolva um pacotinho de 0.25 ounces / 7 gr de gelatina em pó sem sabor em 3 colheres de sopa de água. Reserve. Numa panela, coloque 3 xícaras de creme de leite [heavy cream], 1 xícara de leite, 1/4 de xícara de açúcar, raspas de limão [eu usei de laranja] e 1/2 fava de baunilha. Remova as sementes e coloque no creme, junto com a fava. Leve ao fogo médio e esquente a mistura, mas não deixe ferver. Remova do fogo, adicione 1 xícara desse creme à mistura de gelatina, mexa bem, retorne o creme mais a gelatina para a panela, com o resto do creme. Mexa bem, deixe esfriar um pouco, remova a fava da baunilha e coloque nos ramequins. Cubra e ponha na geladeira por pelo menos 6 horas. Pode untar os ramequins bem de leve com um óleo vegetal sem sabor, se quiser desenformá-los. Como eu fiz com o creme de manga* no fundo, não desenformei. Você pode desenformar e servir com o creme de manga, ou de outra fruta, por cima.

*o creme de manga eu compro em lata, vem da India. é apenas a polpa da fruta com açúcar. essa parte da manga em lata me faz candidata a receber chicotadas da Alice Waters. mas eu não cometo esses pecados sempre. e aqui ninguém sabe de nada, ninguém viu nada, né? pisc!

buttermilk pudding

buttermilkpudding_1s.jpg

Receita da revista Real Simple de setembro de 2007. Super simples de fazer e com excelente resultado. Não havia recomendação para servir com purê ou caldo de fruta, mas eu achei que ficaria bom. Servi com uma apple butter caseira que ganhei da Elise e que deu um complemento interessante ao sabor levemente ácido do buttermilk.

1 e 1/4 de envelope de gelatina em pó sem sabor
1 xícara de creme de leite fresco - heavy cream
2/3 xícara de açúcar
2 xícaras de buttermilk
1 colher de chá de extrato de baunilha
óleo para untar os ramequins

Misture a gelatina com 1/4 xícara de água numa vasilha pequena e deixe descansar por 3 minutos. Enquanto isso, misture 1/2 xícara do creme de leite e o açúcar numa panela pequena e ponha em fogo médio, mexendo vigorosamente com um batedor de arame, até o açúcar dissolver completamente. Retire do fogo, acrescente a mistura de gelatina com água, que deve estar uma pasta bem mole da consistência de um purê. Bata bem, acrescente o resto do creme de leite, a baunilha e o buttermilk. Misture bem e coloque nos ramequins previamente untados [levemente] com óleo. Cubra com plástico e leve à geladeira por no mínimo três horas.

panna cotta de baunilha e amora

pannacottabaunilhaamora.jpg

Para não sair do meu habitual "modus operandi" de preparar uma receita, pesquisei incansávelmente e encontrei muitas variações para a feitura da panna cotta. Escolhi essa bem simples, que adaptei aos meus ingredientes. Queria usar uma berry, que inicialmente seria a framboesa, mas sei lá por que acabei optando por amoras. Não foi uma boa escolha, pois elas estavam muito maduras e algumas tinham uns carocinhos mais duros. Mas o creme ficou muito saboroso e mesmo a molenguice das frutinhas não comprometeu o sabor. O Gabriel comeu duas porções, e isso é um ótimo sinal. Usei as baunilhas do Tahiti que ganhei do Garrett.

1 litro de creme de leite fresco
14 gramas de gelatina em pó sem sabor
1/2 xícara de leite
1 xícara de açúcar de confeiteiro
1 colher de chá de extrato de baunilha ou favas de baunilha

Raspei duas favas de baunilha e coloquei, favas picadas e sementes, em 1 litro de creme de leite fresco. Deixei descansar por um tempo e acrescentei 1 xícara de açúcar de confeiteiro. Polvilhei dois envelopinhos de 7 gr cada um de gelatina em pó sem sabor em 1/2 xícara de leite integral e deixei a gelatina dissolver. Esquentei a mistura de creme de leite com baunilha e cozinhei em fogo baixo por uns minutos. Não deixei ferver. Retirei do fogo e coei, para retirar as favas da baunilha. Voltei ao fogo baixo e acrescentei a gelatina dissolvida no leite, misturei bem com um batedor de arame. Retirei do fogo. Preparei os ramequins com um punhado de amoras em cada um. Coloquei a mistura de creme de leite sobre as amoras e levei à geladeira por mais ou menos três horas, quando a panna cotta ficou firme.

earl grey pots de créme

earlgreypotcreme.JPG

Ainda estou com a idéia do Caramel Pots de Créme na cabeça, mas folheando uma Martha Stewart Living de Maio de 2003, me deparei com essa receita fantástica dos Potes de Creme de Earl Grey. Esses potes são umas fofuras, geralmente parecendo uma mini-panela com tampinha. Na falta dos originais, fiz numa xícara de chá, mas pode ser feito em potinhos comuns de sobremesa, desde que possam ir ao forno. Gostei dessa receita também porque ela só faz quatro potinhos, o que é uma quantidade mais que suficiente para duas pessoas. Aqui em casa as sobremesas sempre sobram.

Earl Grey Pots de Créme
1 xícara de creme de leite fresco - heavy cream
1 xícara de leite integral
2 colheres de sopa de folhas de chá Earl Grey
4 gemas de ovos
1/2 xícara de açúcar
1/2 colher de chá de raspas de limão bem fininhas
1/8 de colher de chá de sal

Numa panela pequena misture o creme de leite, o leite e as folhas de chá. Leve ao fogo médio e deixe ferver. Apague o fogo, tampe e deixe descansar por no mínimo 30 minutos.

Pré-aqueça o forno em 325°F/165ºC.

Numa vasilha média bata bem as gemas com o açúcar, as raspas do limão e o sal. Aqueça novamente a mistura do chá e coe numa peneira bem fininha por cima da mistura de ovos. Bata bem, até ficar uma mistura bem cremosa.

Arrume os potinhos ou xícaras num refratário fundo. Coloque água fervendo até atingir metade dos potinhos. Distribua o creme igualmente nos quatro potinhos. Cubra com papel alumínio bem fechado. Faça dois furos no papel, para o vapor escapar. Asse nesse banho-maria por 30 minutos/

Remova o refratário do forno coloque os potinhos numa grade para esfriar. Deixe gelar bem e sirva.

*nota: o Earl Grey tem uma história peculiar na minha família. durante toda a sua adolescência, o Gabriel bebia esse chá com a maior abundância e pose por causa de um de seus ídolos, o Capitão Jean-Luc Picard. meu filho era [ainda é? não sei!] um trekkie.

panna cotta de iogurte com morango

pannacottamorango.JPG

Eu não tenho muito jeito para fazer sobremesas com gelatina - não sei por que, mas sempre saí algo errado. Mas quando vi essa receita de yogurt panna cotta with raspberries fiquei tentada a me aventurar com o pozinho de gelatina. Achei uns morangos orgânicos no Farmers Market e foi a única coisa que mudei na receita. O resto, segui à risca. O resultado foi excelente! Ficou muito leve e o morango deu um toque especial. Gostei dessa receita porque vai iogurte grego, que eu acho uma delícia. Também gostei pois a quantidade é pequena, deu quatro potinhos e não foi difícil acabar com eles.

1 1/2 xícaras de iogurte grego
1/2 xícara de creme de leite - light cream [half-n-half]
1 1/4 colheres de chá de gelatina em pó sem sabor
2 colheres de sopa de água
3 colheres de sopa de açúcar
1/2 colher de chá de extrato de baunilha
1/2 xícara de morangos frescos

Coloque os morangos picados distribuidos igualmente no fundo de quatro potinhos. Numa vasilha misture bem o iogurte e o creme de leite. Numa outra vasilha misture a água e a gelatina e ponha no microondas por uns 30 segundos. Misture o açúcar e a baunilha. Ponha essa mistura de gelatina no creme de iogurte. Misture bem com o batedor de arame e despeje nos potinhos. Ponha na geladeira até ficar firme.

>>para substituir o iogurte grego, use iogurte natural escorrido num paninho, igual se faz coalhada seca. o half-n-half tem a textura de um creme de leite fresco diluído num pouco de leite.

Raspberry Trifle

Uma sobremesa do jeito que eu gosto, deliciosa e fácil de fazer! Veio na edição de dezembro da revista Everyday Food. Foi um sucesso absoluto!

raspberrytrifle1.JPGraspberrytrifle2.JPG
raspberrytrifle3.JPGraspberrytrifle4.JPG

1/2 xícara de flocos de coco
1/2 xícara de dry sherry [eu usei Cointreau]
2 pacotes de framboesa congelada [350gr cada]
2 colheres de chá de raspas de limão
2 xícaras de creme de leite fresco [heavy cream]
1/4 xícara de açúcar
2 pound cake [350 gr] cortado em fatias - eu usei 2 liqueur cakes com Cointreau de 400gr cada]
1/3 xícara de amêndoas em fatias

Pré-aqueça o forno em 350ºF/176ºC. Torre os flocos de coco por 6 minutos. Reserve. Numa vasilha misture as framboesas descongeladas, o limão e o sherry [eu usei Cointreau]. Reserve. Bata o creme e o açúcar na batedeira até ficar bem firme. Reserve. Forre uma vasilha de vidro com uma camada de fatias de bolo, coloque por cima uma camada da mistura de framboesa, cubra com uma camada do creme batido, coloque outra camada de bolo, outra da framboesa, outra do creme e salpique com o coco em flocos tostado e as amêndoas. Cubra com um filme plástico e leve à geladeira. Quanto mais tempo ficar gelando, mais gostoso fica. Pode ser servido dois dias depois, se acaso sobrar....




[VOLTAR]